Tem Irreverência Ou Morte, Tem Jazz Poetry, Tem Cordeir

11 May 2019 14:17
Tags

Back to list of posts

<h1>F&eacute;rias: Instante Correto Para Dominar O Novo Est&aacute;gio O Dia</h1>

<p>Tem o Sarau Irrever&ecirc;ncia ou Morte, homenageando Hilda Hilst. Tem Jazz Poetry, com o poeta convidado Ademir Assun&ccedil;&atilde;o. Tem show de Giliane &amp; Gusm&atilde;o. Tem Bez&atilde;o e o Folk pela Kombi. Tem CiriloAm&eacute;m pela Boutique Vintage. Tem Cordeirovich &amp; Vladinski no Casar&atilde;o. Tem Carol Naine (com Blubell) no ceu Butant&atilde;. Tem lan&ccedil;amento do Lulalivre/Lulalivro. Tem pe&ccedil;a, stand-up, clipe, expo, baile, festa e etc &amp; tal.</p>

<p>Tem tem tem… tem sarau, luau e o escambau. QUINTA-FEIRA - 2 de agosto - 19h30 … Sarau Irrever&ecirc;ncia ou Morte … Encontro po&eacute;tico festeja e homenageia exist&ecirc;ncia, obra e legado irreverente da poeta Hilda Hilst. Eu e o Cordeiro hoje somos da mesma idade. Todavia, pela adolesc&ecirc;ncia, 3 ou quatro anos realizam uma encantadora (ou espinhosa) diferen&ccedil;a.</p>

<ul>

<li>Vinte e sete Ficheiro:Caveira Vermelha por Hugo Weaving.jpg</li>

<li>PCI Dicas</li>

<li>tr&ecirc;s Torneio Jos&eacute; Am&eacute;rico de Almeida Filho</li>

<li>07 | Autentica&ccedil;&atilde;o segura com o Windows Hello</li>

curso-de-verano.jpg

<li>6 Departamento de Sa&uacute;de P&uacute;blica, Reprodutiva e SIDA</li>

</ul>

<p>Eu, com meus 16 ou 17 ainda n&atilde;o o sabia que existia. Dona Geralda Vence O Concurso Miss Bumbum Melhor Idade O Dia , do p&aacute;teo do col&eacute;gio, pelo motivo de ele era da turma do meu irm&atilde;o Luiz. Um dia a professora de portugu&ecirc;s elogiou e leu uma reda&ccedil;&atilde;o dele pela minha sala. Eu lembro que ele subvertia a linguagem e neste momento usava in&uacute;meros recursos de modo: versos no meio da prosa, onomatopeias, reitera&ccedil;&atilde;o de palavras, cita&ccedil;&otilde;es de Oswald, apropria&ccedil;&otilde;es de Mario &amp; Macuna&iacute;ma… O cara era fant&aacute;stico mesmo, cheio das ideias.</p>

<p>Certa noite, eu tomei valentia e conversei com ele numa festa na casa do Poty. Lembro que estava l&aacute; com o meu companheiro Valmir Perea. E que tomei umas cacha&ccedil;as a mais e falei um monte de besteiras sobre o assunto pol&iacute;tica e arte (n&atilde;o &eacute; Val?). Dei minhas cr&iacute;ticas “sobre isto e aquilo, coisas que n&oacute;is n&atilde;o domina nada”, como cravou o enorme Adoniran. Mas, fiquei feliz por trocar umas ideias com ‘o cara’. Ele, gentil, ouviu as abobrinhas do bebunzinho com respeito e paci&ecirc;ncia. Me senti importante. &Eacute; Sua Primeira Experi&ecirc;ncia Com Voluntariado? o acompanhei no teatro, dirigindo o Grupo Gesto, na elegante montagem do espet&aacute;culo ‘Um P&eacute; pela Dan&ccedil;a Outro pela Fala“.</p>

<p>A acompanhar, o cara gravou um disco independente, “Brincadeira Manh&atilde;“, com L&eacute; Dantas. Eu admirava as can&ccedil;&otilde;es e suas performances nos palcos (teatros, feiras, festivais). Tinha (e mant&eacute;m) a desinibi&ccedil;&atilde;o dos que sabem que t&ecirc;m qualquer coisa a contar. &Eacute; um show-man. Mais tarde, vieram os ‘Bar Noir‘ no Le&atilde;o XIII, esp&eacute;cie de sarau, abrindo espa&ccedil;o a inmensur&aacute;veis artistas.</p>

<p>Vieram os filmes de tuas pe&ccedil;as (com Deise e Vladi, na Bentevideo). Vieram os livros de poesia. Vieram novas can&ccedil;&otilde;es e cds, nesta hora em parceria com Vladinski (e com meu irm&atilde;o). O cara atravessou as d&eacute;cadas produzindo. O velho fedelho Cordeirovich que deu a superior for&ccedil;a ao ‘nosso futebol’ (mesmo sem jogar) e a esse site (que ele me apresenta a honra de ler).</p>

<p>E que entusiasma, desde o come&ccedil;o, o Sarau da Maria. Que faz a cr&iacute;tica do movimento e comparece para socorrer. Que fala da turma da Vila como se a gente fosse o Clube da Esquina. Por ele, creio que seria. Ele queria. Ele cria. Ele fez por onde. E continua fazendo a tua parte.</p>

<p>A toda a hora montando, a toda a hora cantando e escrevendo. Meu amigo Cordeiro, daquela impressionante reda&ccedil;&atilde;o que eu continuo lendo. SEXTA-FEIRA - 3 de agosto - 19h … Cirilo Am&eacute;m - no Boutique Vintage … &oacute;timo banda da ZL, com influ&ecirc;ncias de rock, psicodelia e mpb, exibe repert&oacute;rio autoral e alguns ‘cl&aacute;ssicos lados b’. &Eacute; O Antigo E O Novo: Entrevista Com &Eacute;ric Rohmer (viol&atilde;o, voz), Katia Aqkino (voz) Sergio Basseti (baixo), Telo Ferreira (bateria) e Felipe Cirilo (guitarra). Vai l&aacute; que &eacute; excelente.</p>

<p>Na via Sustentabilidade &eacute; A Maior Personagem Da Casacor 2018 - Viver , 949. Discotecagem de Apache Potente Seletores. “Solid&atilde;o Vira Revolta” &eacute; o primeiro single do Obinrin Trio, formado por Elis Menezes, Lana Lopes e Ra&iacute;ssa Lopes. “Nenhum Justo a Menos” &eacute; uma can&ccedil;&atilde;o do novo disco de Paulinho Moska, ‘Beleza e Medo‘, a ser lan&ccedil;ado no dia tr&ecirc;s de agosto. ‘D&eacute;cimas para Violetas e Margaridas‘ &eacute; o novo single da cantora e compositora K&aacute;tya Teixeira (idealizadora e organizadora do Projeto Dand&ocirc;). Retrata a presen&ccedil;a da mulher, do campo &agrave;s grandes metr&oacute;poles, a come&ccedil;ar por uma releitura do poeta Paulo Nunes pro cen&aacute;rio ‘Violetas e Margaridas‘.</p>

Comments: 0

Add a New Comment

Unless otherwise stated, the content of this page is licensed under Creative Commons Attribution-ShareAlike 3.0 License